Sabemos o quanto é importante a linguagem visual na busca do sucesso pessoal e profissional. Reconhecemos, também, a necessidade de sua atualização, para nosso prazer e para que possamos surpreender constantemente, evitando parecer “peça de museu e ficarmos ïnvisíveis. Mas, atenção, a inspiração não cai do céuTer estilo como marca própria, o que insisto em repetir em todas oportunidades, não é algo fácilExige vontade, comprometimento e disciplina.

1. É necessário viajar – mesmo que seja virtualmente;

2.Acompanhar os movimentos de arte [pintura, escultura, cinema, livros, teatro etc]

3. Ficar atento à evolução de looks das “nossas” ícones – obviamente cada pessoa escolhe uma ou mais com as quais se identifica. Elas sempre nos alimentam com uma nova dica.

4. Porém, existe um elemento valiosíssimo, que, muitas vezes, precisa ser relembrado: os editoriais de moda.  Mas por rquê?

Devemos reconhecer dificilmente existir profissionais mais bem preparados para inspirar looks do que os editores de moda das revistas nacionais e internacionais.  Fazem o trabalho árduo e criativo ao montar looks – fundamentado nas tendências -, harmonizando-os com peças, acessórios e beleza buscado nas mais conceituadas marcas.

Não esquecendo o trabalho de arte dos grandes fotógrafos de moda mais requisitados que através de uma mesma linguagem, só fazem valorizar a beleza das composições, exibidas pelas mais excepcionais modelos.

O talento destes profissionais – exaustivamente adquirido através do tempo – é de um valor inestimável como uma bússola de estilo que orienta e inspira.

Comprove minha tese através deste espetacular editorial da Vogue Japão junho 2017, com looks compostos pela editora de estilo Carlotta Oddi e fotografia de Lacey.

Na beleza, o cabelo foi assinado pelo cabelereiro Martin Cullen, em sintonia com a maquiadora Jenny Coombs.